quarta-feira, 12 de julho de 2017

Mega Artesanal 2017


Este Ano a Mega me surpreendeu de forma agradável,notei um maior cuidado com o público a começar das vans que fazem o transporte,este ano elas saem do ladinho do estação Jabaquara do metrô, evitando assim aquela caminhada grande tanto de ida como de volta. Os preços dos  estandes também estão melhores que os do ano passado, a organização, esta  evidentemente bem melhor,banheiros limpos cuidados, cheirosos. Vi lançamentos bem legais das Industrias,destacando a True Collors, Glitter e Condor.


Me pareceu também que os Stands também estão melhor organizados,fáceis de localizar,há a distribuição de uma revista da Mega com um mapa interno que facilita muito a localização dos mesmos. Muitas novidades. Mandalas em alta, muita pedraria,muito brilho, enfim foi sim uma grata surpresa a Mega deste ano, não deixem de ir.

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Mega Artesanal 2017

Acompanhem as novidades da Mega Artesanal 2017 pelo Blog

sábado, 18 de junho de 2016

10 anos de sucesso

Mega Artesanal prepara edição especial para comemorar dez anos


A feira que começou em 2006, apenas como Artesanal e com 28 expositores, acontece de 12 (só para lojistas e convidados) a 17 de julho, no São Paulo Expo, com mais de 300 empresas e ateliês e no posto de maior feira de
produtos e técnicas de artes e artesanato da América Latina

São Paulo, 8 de junho de 2016 – Tudo para quem faz arte e artesanato. De um novelo de lã a um cachecol pronto para se aquecer no inverno, de uma tela em branco a um quadro para decorar a sala, de uma folha de papel a uma linda decoração para uma mesa de festa. São insumos, acessórios, máquinas, ferramentas, peças prontas feitas à mão, para uso pessoal ou para o lar, mostras, exposições e milhares de cursos – a maioria gratuita -, que mais uma vez os visitantes da Mega Artesanal encontrarão na feira que acontece no São Paulo Expo, em São Paulo, de 12 a 17 de julho, sendo o dia 12 exclusivo para lojistas e convidados e os demais dias abertos ao público. Esse ano, porém, com um motivo ainda mais especial para participar: a Mega, como é carinhosamente chamada, está fazendo dez anos e preparando uma edição imperdível e inesquecível. Entre as novidades está a Artesanal Confeitaria & Festa, que em 2014 e 2015 aconteceu em datas e locais separados e agora vem para dentro da Mega, ocupando uma área de 500 m². Assim, se a Mega Artesanal já era a maior e melhor feira de produtos e técnicas de artes e artesanato da América Latina, agora será também a mais doce.
“Quem conhece e frequenta a Mega Artesanal costuma achar que a edição daquele ano foi a melhor. Por isso, é sempre um desafio preparar a feira do ano seguinte. Quando olhamos para traz e vemos tudo o que já aconteceu na Mega, parece difícil superar. Mas estamos trabalhando fortemente e temos certeza que, de novo, vamos deixar a sensação de que a feira de 2016 foi a melhor”, diz Rita Mazzotti, diretora da WR São Paulo, que organiza a Mega Artesanal. 
Motivos para acreditar não faltam. Além do novo espaço para confeitaria, a Mega Artesanal terá mais de 300 expositores, entre os principais nomes da indústria e do comércio, como Casa da Arte, Craft e Scrap, Condor Pincéis, Fitas Progresso, Santa Fé, Serilon Crafts, Singer e Toke e Crie, e de mídia, como Vitrine do Artesanato, Aparecida Rede de Comunicação e Ateliê na TV, além de centenas de ateliês e artesãos, como os conhecidíssimos Peter Paiva, Vlady e Rita Paiva.
Eles dividirão uma área de  26 mil m² do novo e moderno espaço para eventos, São Paulo Expo. “Estamos ansiosos para ver a reação dos visitantes,  que encontrarão um ambiente acolhedor e confortável, compatível com o espírito da Mega”, diz Rita. “Nossa média de público é de 100 mil pessoas, a maioria mulheres acima de 12 anos, idade mínima para entrar na feira.  São lojistas, artesãos, artistas, gente que quer comprar, aprender a fazer arte, conhecer uma técnica nova, enfim, que gosta ou faz arte manual e de  praticamente todas as regiões do Brasil”, conta Rita. “Milhares, inclusive, vêm na Mega de caravanas, que chegam de madrugada e vão embora só no final da feira”, completa.
As exposições realizadas dentro da Mega Artesanal também merecem destaque. Para o artista, expor suas peças na Mega é a certeza de ser visto e conhecido por milhares de pessoas e, para o público, por sua vez, é a chance de ver trabalhos manuais e artesanato como obras de arte e valorizar ainda mais o resultado da criatividade e habilidade. Em dez anos, a Mega já foi palco de mais de cem exposições, como as de miniaturas de monumentos do maquetista Adhemir Fogassa, de obras do artista gráfico Elifas Andreato, de telas pintadas pelo ex-locutor esportivo Osmar Santos, da pintura surrealista de Evandro Schiavone, dos inacreditáveis quadros de oshibana de Mirian Tatsumi, das divertidas caricaturas do Bixigão, dos belíssimos patchwork feitos por artistas de todo o país com curadoria de Ciça Mora, e muito mais. “O Brasil é muito rico e a Mega Artesanal cede espaço para todas as manifestações artísticas”, afirma Rita.
Para a edição de dez anos da Mega Artesanal, também estão sendo preparados milhares de demonstrações, oficinas e cursos, a maioria gratuitos e ministrados nos próprios estandes dos expositores. Concorridíssimos, os cursos e outras oportunidades de capacitação e aprimoramento são uma das grandes atrações da Mega, pois atraem e atendem pessoas que querem se reciclar ou aprender uma técnica, seja para fazer arte e artesanato como hobby ou terapia, para complementar o orçamento ou mesmo como única fonte de renda.

Serviço: Mega Artesanal 2016
Dias e horários: 12 de junho (só imprensa e lojistas) das 11h às 19h
       13 a 16 de julho (aberto ao público) das 11h às 19h
       17 de julho (aberto ao público) das 11h às 17h
Local: São Paulo Expo
Endereço: Rodovia dos Imigrantes, Km 1,5
Ingresso: R$ 20,00 inteira e R$ 10,00 meia entrada
Transporte: gratuito da estação Jabaquara do Metrô, todos os dias de evento, das 10 às 19 horas.
Proibida a entrada de menores de 12 anos
Organização: WR São Paulo Feiras e Congressos

quarta-feira, 11 de maio de 2016

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Como fazer um Craquele Perfeito

Você sabe como fazer craquelê?
 
Encontrei este texto na internet e achei interessante divulgar.



 Dicas   da artesã Tania Mara




A técnica de craquele tem origem francesa e é responsável pelo efeito de rachaduras em peças de madeira, cerâmica, vidros etc. E até efeitos em unhas como utilizamos ultimamente na moda feminina.
Existem diferentes tipos de produtos para fazer craquelar, dentre eles estão: Kit Craquele, tinta craquele, verniz craquele, cola branca, entre outros. Cada um se trabalha de uma maneira, mas todos têm o efeito de rachado. 
Alguns precisam de verniz por cima para dar acabamento, outros não precisam de nada, pois já tem o acabamento brilhante. A maioria desses produtos são solúveis em água, ótimo, pois não tem cheiro forte.
Eles podem ser aplicados com pinceis ou espojas, depende do efeito desejado. Alguns podemos acelerar a secagem outros devemos aguardar a secagem sozinha para um melhor resultado. 
O ato de “craquelar” significa que a tinta reage em cima de uma superfície extremamente brilhante. Com a secagem do mesmo ela encolhe, dando as rachaduras e o efeito de craquele. 
 
Antes de iniciar o seu trabalho é importante avaliar a peça que está à sua frente. Se for uma peça grande ela poderá receber um craquelê graúdo. Do contrário, se for pequena, o craco deverá ser compatível com o tamanho desta tal peça.

O que vai definir o tamanho do craco é a quantidade de verniz que será aplicada. Se você quer um craco graúdo, a camada de verniz deverá ser grossa. Para uma craco miúdo é só diminuir a quantidade de verniz. Este é o pulo do gato, seja para qualquer técnica a ser utilizada.

Devemos sempre lembrar que para realçar os cracos há a necessidade de se utilizar duas cores de tintas, uma contrastante com a outra, nesta sequência;
Ex: cor de fundo branco, verniz e cor contrastante preto.

Pois bem, vamos lá.
 
TÉCNICA Nº1:

O craquelê pode ser aplicado em diversas superfícies. Neste caso usei uma garrafa de licor, que ao invés de jogá-la no lixo transformei-a em uma peça decorativa para a estante da minha sala. Adoro utilizar materiais recicláveis, a ideia de atribuir àquele produto uma utilidade diferente daquela para a qual foi criada me encanta e encanta a todos que conhecem meu trabalho. Sem querer fazer trocadilhos esta peça literalmente ficou um luxo com o lixo, concordam?






Material:      
Primer
Tinta PVA palha
Papel para decoupage
Kit Craquelê incolor
Pasta decorativa dourada
Cola para decoupage

A embalagem contém um Verniz Base e um Verniz Craquelador.

Aplicação:
Pintar a peça aplicando duas camadas de Primer e duas camadas de tinta preferencialmente com cor clara, pois, será a base do nosso trabalho.
Escolha o papel e faça a decoupage.
Depois de bem seco, passar duas camadas de verniz base aguardando secagem entre uma demão e outra. Eu costumo inverter o sentido das pinceladas, se na primeira demão eu pintei no sentido vertical, na segunda demão eu passarei o pincel no sentido horizontal. O verniz base pode ser aplicado com pinceladas (como se estivesse pintando com a tinta) bem como sua secagem pode ser acelerada com um secador de cabelo ou um soprador.
Agora vem a parte mais esperada do trabalho, aquela em que passaremos o verniz craquelador. Com um pincel macio vá depositando o verniz em sentidos variados. Uma camada somente, porém, bem generosa. Aguarde secagem que deverá obrigatoriamente ser natural, longe do sol ou do vento para não aparecer bolhas e em local bem plano para que o verniz não escorra somente para um lado. Aos poucos você verá os cracos surgindo.
Para finalizar devemos passar uma pasta para realçar os cracos.  Eu utilizei a pasta metálica ouro velho Goldfix da Corfix (veja foto em destaque). Para melhor aplicação dilua a pasta conforme indicação do fabricante e aplique com um pincel, pano macio ou até mesmo com o dedo.

O acabamento dele já é brilhante, portanto não precisa passar nenhum impermeabilizante por cima.


Para tirar o excesso de pasta que fica na superfície, com um pano macio, passe querosene ou cera em pasta incolor.
.


TÉCNICA Nº 2:

Neste trabalho pensei em fazer com que o craquelê ficasse por baixo da decoupagem fazendo as ranhuras aparecerem através do guardanapo. E assim o fiz.




Material:
Primer
Tinta PVA Chocolate
Verniz Craquelê
Tinta PVA branca
Guardanapo para decoupage
Cola para decoupage
Verniz fosco




 
 
Aplicação:
Pintar a peça com duas camadas de primer, duas camadas da cor escura.

Aplicar o verniz craquelê com pinceladas em X, apenas uma camada. Lembre-se, se quer um craco graúdo ......ou, se quer um craco miúdo.......

Antes que o verniz  seque por completo,passar a cor contrastante. Com um pincel de cerdas macias, vá depositando a tinta com apenas uma camada e preferencialmente sem sobrepor as pinceladas. 

Quase que imediatamente a peça começa a craquelar. E aí é só finalizar com a decoupage e o verniz.
  

TÉCNICA Nº 3: 

Craquelê com cola branca (tenaz, cascorez ou qualquer outra cola branca)
Isto mesmo, cola branca e nada mais e olhem só que  resultado maravilhoso.





Material:
Tinta PVA cereja
Cola branca
Tinta PVA marfin
Papel para decoupage
Verniz brilhante

  

Aplicação:
A cola neste caso fará o papel do verniz craquelador e sua aplicação segue basicamente ao deste produto.

Nesta caixa usei a cor cereja da  Gato Preto como fundo. Deixe secar bem.

Depois, cubra a tampa com uma camada bem generosa de cola branca de maneira que você não consiga ver a tinta da caixa (eu usei esta cola da figura, mas acredito que dê certo com qualquer cola branca).

Antes que a cola seque por completo, escolha uma cor contrastante (escolhi a cor marfin) e vá depositando a tinta com o pincel delicadamente, pois, a cola ainda está úmida. Você saberá a hora de passar a tinta quando a cor base da caixa ( cereja) começar a aparecer. Aqui o pulo do gato é o seguinte: se você aplicar a tinta em cima da cola enquanto ela ainda estiver totalmente branca o craco ficará enorme e assim não fica bonito. Quanto mais a cola estiver molhada, mais ela puxará a tinta e os veios do craco ficarão muito largos. Então deixe que a cola começe a ficar transparente para poder aplicar a tinta.

Em poucos minutos o craco começará a abrir. Como a cola demora secar é possível acelerar o processo, mas cuidado, deve ser com ar frio, eu costumo deixar em frente ao ventilador numa distância de pelo menos um metro e meio da peça. A secagem completa se dará quando a cola estiver completamente transparente.

Esta técnica dá um efeito muito bonito. A cola depois de seca deixa o fundo com bastante brilho e a tinta por cima fica fosca. Nesta caixa eu acabei perdendo este efeito porque a tinta contrastante que utilizei foi PVA e portanto eu tive que impermeabilizar. Optei por passar verniz brilhante e a caixa toda ficou brilhante. Deixo como sugestão usar uma tinta acrílica fosca por cima, assim não será necessário impermeabilizar a peça e você garantirá o efeito do brilho, contrastando com o fosco que fica maravilhoso.


 TÉCNICA Nº 4:



Caquelê com tinta Craquelex. Olhem que graça.
Este produto é bastante versátil. Percebam que o formato dos cracos da tampa são diferentes dos cracos da caixa. Este efeito você consegue somente mudando a aplicação da tinta.  Na tampa usei a tinta Craquelex Cinza Lunar e com o pincel (ou uma bucha grossa) fui aplicando batidinhas na tinta. Já na caixa usei a cor Vermelho Carmin e com o pincel fui dando pequenas pinceladas em forma de X. Camadas generosas de tinta.




Material:
Tinta branca para base
Verniz Vitral incolor ou Base para Tinta Craquelex
Tinta Craquelex Vermelho Carmin
Tinta Craquelex Cinza Lunar
Verniz brilhante




Aplicação:

O fabricante recomenda usar a Base para tinta Craquelex (figura acima), porém, ela é totalmente dispensável. Você vai dizer: Mas como?????
Lembra do texto acima? A tinta reage em cima de uma superfície extremamente brilhante. Com a secagem do mesmo ela encolhe, dando as rachaduras e o efeito de craquelê.

Nesta caixa eu substitui a base indicada pelo verniz vitral incolor e funcionou perfeitamente.
Então, seguindo a lógica não há necessidade de sairmos comprando produtos desnecessariamente, acredito que se no lugar do verniz vitral eu tivesse usado verniz craquelê, também teria conseguido o mesmo resultado.
Se o fabricante quer vender, nós queremos economizar não é mesmo? Devemos pensar assim, vou usar o que eu tenho em casa.

A tinta craquelex deve ser grossa o suficiente para que você não veja o fundo que nesse caso é a cor branca.

Aqui é possível a secagem com ar quente. Depois de passar a tinta craquelex use o secador ou um soprador com ar quente e verá o craco abrir instantâneamente.

Para finalizar, impermeabilize com verniz brilhante.



 TÉCNICA Nº 5:

Este craquelê também fica muito bonito e a vantagem deste material é a sua praticidade.

Craquele com camada generosa de verniz



Craquele com camada fina de verniz






Material: 
Tinta PVA branca para base
Kit Craquelê colorido

 A embalagem contém um Verniz Base e um Verniz Craquelador.
  


Aplicação:
Segue a mesma sequência de aplicação, cor de tinta que se quer que apareça em baixo, verniz base e verniz craquelador, porém, neste caso você não precisa aplicar outra tinta,o verniz craquelador já é a cor contrastante. 

Para um craquele bonito, passe uma demão de verniz base no sentido vertical, deixe secar completamente e na segunda demão passe as pinceladas no sentido horizontal. Com a peça bem sequinha você entra com o verniz craquelador e com o pincel você irá depositar o verniz com uma camada bem generosa e com movimentos em forma de X, para que os cracos se formem em todas as direções. O fabricante deste produto orienta que se use pincéis diferentes para cada verniz, mas, é só lavar  e secar bem direitinho que não tem problema nenhum.

Assim como o Kit incolor, o acabamento dele já é brilhante, portanto não precisa passar nenhum impermeabilizante por cima.

Este produto dá a possibilidade de usar as tintas de duas formas, ambas com efeito muito bonito:
Cores contrastantes: Ex: tinta PVA branca como base e verniz craquelador vermelho
Tom sobre tom: Ex: tinta PVA amarela e verniz craquelador laranja


Mais uma dica para o uso de Kit craquele colorido.

Este enfeite de árvore de Natal é feita de bola de isopor nº 7. Passei 3 camadas de tinta acrílica decorativa metálica ouro da decorfix, duas camadas de verniz base e duas camadas de verniz craquelador. 

Você deve estar pensando, "mas não pode passar duas camadas de verniz craquelador..." pode sim, é só não deixar o verniz secar. Passe a primeira camada fina de verniz craquelador e aguarde alguns minutos até que ele fique um pouco mais consistente a ponto de não escorrer e logo em seguida aplique a segunda camada.

Se a bola for menor, aconselho deixar com uma camada só de verniz craquelador senão os cracos ficarão muito graúdos para uma bola pequena. São detalhes que fazem toda a diferença.


 
X  -  X  -  X  -  X

Com essas dicas tenho certeza que você conseguirá realizar seus trabalhos com sucesso. Comece com uma peça pequena enquanto você se familiariza com as técnicas e com os diferentes materiais. Depois ouse e experimente peças diferentes como as que expus aqui, além destas você poderá trabalhar também em PET, Caixa de leite, cerâmica, metal, gesso e até em isopor lembrando sempre que, se a peça não for madeira deverá receber os primeiros cuidados com o primer.